Dados, tabelas e gráficos

Distribuição de frequência

Quando da análise de dados, é comum procurar conferir certa ordem aos números tornando-os visualmente mais amigáveis. O procedimento mais comum é o de divisão por classes ou categorias, verificando-se o número de indivíduos pertencentes a cada classe.

1. Determina-se o menor e o maior valor para o conjunto:

2. Definir o limite inferior da primeira classe (Li) que deve ser igual ou ligeiramente inferior ao menor valor das observações.

3. Definir o limite superior da última classe (Ls) que deve ser igual ou ligeiramente superior ao maior valor das observações.

4. Definir o número de classes (K), que será calculado usando . Obrigatoriamente deve estar compreendido entre 5 a 20.  

5. Conhecido o número de classes define-se a amplitude de cada classe: 

6. Com o conhecimento da amplitude de cada classe, define-se os limites para cada classe (inferior e superior).

Clique aqui para ver o exemplo 5

Distribuições simétricas

A distribuição das frequências faz-se de forma aproximadamente simétrica, relativamente a uma classe média

Caso especial de uma distribuição simétrica:

Quando dizemos que os dados obedecem a uma distribuição normal, estamos tratando de dados que distribuem-se em forma de sino.

Distribuições assimétricas

A distribuição das frequências apresenta valores menores num dos lados:

Distribuições com "caudas" longas

Observamos que nas extremidades há uma grande concentração de dados em relação aos concentrados na região central da distribuição.

Como referenciar: "Dados, tabelas e gráficos" em Só Matemática. Virtuous Tecnologia da Informação, 1998-2018. Consultado em 23/01/2018 às 12:17. Disponível na Internet em https://www.somatematica.com.br/estat/basica/pagina5.php