Jean Bernoulli

Jean Bernoulli (ou Johann Bernoulli) foi um matemático suíço. Ele e seu irmão, Jacques Bernoulli, foram discípulos importantes de Leibniz. Nenhuma família na história da humanidade produziu tantos matemáticos quanto a família Bernoulli, doze ao todo, que contribuíram de modo inigualável na criação e desenvolvimento do cálculo diferencial e integral.

Foram os Bernoulli que usaram pela primeira vez a palavra integral (1669) e, pouco depois, Leibniz concordaria que Cálculus Integralis seria um nome melhor que Cálculus Sommatorius. A família Bernoulli teve sua origem na Holanda, na cidade da Antuérpia, fugindo para a Suíça, por serem protestantes. Jean Bernoulli nasceu na cidade da Basileia, Suíça, no dia 07 de agosto de 1667. Filho de Nicolau Bernoulli, também pai de outros dois matemáticos: Jacques e Nicolau. Embora o Sr Nicolau tivesse proporcionado muito conhecimento de matemática aos filhos, não pretendia que os mesmos se dedicassem a ela. Esperava que seus filhos fossem ministros religiosos ou médicos. De início, Jean segue o caminho estipulado pelo pai, chegando a escrever uma tese de doutoramento em medicina sobre fermentação, com apenas 23 anos de idade.

A partir de 1691, Jean tornou-se um apaixonado pela teoria do cálculo diferencial e integral, escrevendo dois livros sobre cálculo, em 1692, Jean encontrava-se em Paris e, para ganhar a vida, tornou-se professor particular de um jovem, Guilherme François L'Hospital, Marquês de St Mesme, Com o qual fez um pacto : em troca de um salário mensal dado pelo marquês, Jean concordaria em passar para o mesmo suas descobertas matemáticas para serem usadas como o marquês desejasse.

O resultado deste acordo foi que uma das mais importantes contribuições de Jean Bernoulli, datada de 1694, para resolução de limites indeterminados, passou a ser conhecida mundialmente como regra de L'Hospital, Analysis des Infinites Petits (Análise dos Infinitamente Pequenos), publicado em Paris em 1699. A publicação é tida como primeiro livro de cálculo diferencial e Integral editado no mundo, cuja importância foi enorme para a divulgação do cálculo entre os estudiosos do século XVIII. Neste livro, L'Hospital demonstra ser um escritor exímio expondo de maneira ordenada, através de seus dotes pedagógicos, toda a evolução das principais idéias-suportes das integrais e derivadas. Este livro teve um sucesso tão grande, que durante dois séculos foi publicado com tiragens de milhares de exemplares. No prefácio, L'Hospital agradece de maneira especial a Jean Bernoulli e a Leibniz.

Em 1694, casa-se com Marie Euler, sobrinha do grande Euler, com a qual teve três filhos, todos gênios : Nicolau I, Daniel I e Jean II. Estes fariam grandes trabalhos dentro da física e da matemática e não seria por menos, pois em suas veias corria o sangue de duas grandes famílias: os Euler e os Bernoulli.

Em 1695, Bernoulli foi convidado a ser professor da Universidade de Groningen e, em 1696, começa a interessar-se pelo o que seria o cálculo varicional. Nesta época, propôs, na revista Acta Eruditorium, o célebre problema do tempo mínimo de descida de um corpo sob ação do campo gravitacional, problema este resolvido por Euler e por vários matemáticos, inclusive pelo próprio Jean. 

 

Em 1704, após a morte de L'Hospital, acusa-o a outros matemáticos de Ter plagiado vários de seus resultados, o qual foi considerado infundado por seus contemporâneos. No entanto, anos depois, quando tornou-se pública a correspondência entre ele e L'Hospital, os matemáticos perceberam que todas as grandes idéias do segundo, foram dadas pelo primeiro.

Em 1711, Jean Bernoulli era conhecido no mundo todo devido a seus importantes trabalhos dentro da matemática, da física e da engenharia, principalmente pelos seus estudos sobre as propriedades da catenária, sendo homenageado, várias vezes, por reis e rainhas. Diz a lenda em torno de seu nome que ao se apresentar onde não era conhecido, as pessoas respondiam : se você é Bernoulli, então nós somos Newton.

Em 1712, demonstra sinais nítidos de loucura, ao expulsar de casa seu filho Daniel, por ele ter conquistado um prêmio da Academia de Ciências de Paris, ao qual Jean também concorreu. O fato de o filho ter sido melhor do que ele, provocou-lhe uma inveja que perdurou até o final de sua vida. Recusava-se a conversar com as pessoas em sua volta e, se estas conhecessem matemática, afirmava que eram ladras de suas idéias. Todos estes sintomas de paranóia tornar-se-iam agudos com o passar dos anos. No ano de 1747, fica praticamente sozinho no mundo, abandonado inclusive pela própria família.



Jean Bernoulli morreu vítima da loucura na cidade de Basileia, no dia 03 de janeiro de 1748, com 81 anos de idade.

Como referenciar: "Jean Bernoulli" em Só Matemática. Virtuous Tecnologia da Informação, 1998-2018. Consultado em 22/07/2018 às 00:22. Disponível na Internet em https://www.somatematica.com.br/biograf/bernoulli.php