Você está em Entretenimento > Poemas

Amortemática

Posso operar com números naturais, inteiros, racionais.
Mas nunca com os irracionais da tua alma.
Posso trabalhar com retas concorrentes, perpendiculares, convergentes.
Mas jamais me acostumarei com a solidão das paralelas que apesar de caminharem juntas nunca se encontram.
Posso somar, dividir, multiplicar.
Mas nunca subtrair amor quando o resultado é solidão.
Posso compreender várias propriedades: comutativa, associativa, distributiva.
Mas não consigo entender quando insistes em ser o elemento neutro.
Posso te falar de equações, inequações, união, intersecção.
Mas não posso te falar de amor se tiveres no peito um conjunto vazio.
Posso extrair raízes de segundo, terceiro e enésimo grau.
Só não posso extrair as raízes que me prendem a você.

Gilberto A. Reis
Filadélfia, Bahia
Graduado em Matemática e Fisica

<< Anterior
Amigo matemático
Próximo >>
Soneto - Grandes nomes
Como referenciar: "Amortemática" em Só Matemática. Virtuous Tecnologia da Informação, 1998-2019. Consultado em 17/09/2019 às 20:34. Disponível na Internet em https://www.somatematica.com.br/poemas/p107.php